PCA - PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO AUDITIVA


É o conjunto de atividades que visam prevenir ou estabilizar as perdas auditivas ocupacionais por meio de um processo dinâmico, com oportunidades de melhoria contínua, o qual desenvolve atividades planejadas e coordenadas entre as diversas áreas envolvidas na organização

 

O crescimento Industrial trouxe como uma das conseqüências o aumento do ruído nos ambientes laborais. Ele é o agente ocupacional que mais freqüentemente provoca perdas auditivas. Entretanto, outras condições não podem ser desprezadas, tais como: agentes químicos, radiações ionizantes, acidentes com traumatismo crânio-encefálico, barotraumas e alérgenos. Isto leva a uma preocupação constante e cada vez maior dos profissionais responsáveis pela integridade física e psicológica dos indivíduos expostos a estes ruídos.


O Programa de Conservação Auditiva deve ser coordenado pelos profissionais: Médico do Trabalho, Otorrinolaringologista, Fonoaudiólogo, Engenheiros, Técnico de Segurança do Trabalho e Técnico de Enfermagem do Trabalho, sendo necessário o intercâmbio das informações para alcançar o sucesso do programa.


A atuação dos profissionais da área da saúde se faz em três níveis: monitoração dos limiares auditivos, diagnóstico etiológico das perdas auditivas e educação individual e coletiva dos trabalhadores expostos.


O Fonoaudiólogo tem papel fundamental neste processo pois possui um envolvimento direto com o trabalhador e dentre algumas medidas necessárias para conceber a efetiva prevenção aos efeitos nocivos do ruído está a realização da Audiometria.

Devido à sua responsabilidade em avaliar, estabelecer a etiologia, o caráter evolutivo e a conseqüente tomada de decisão sobre as perdas auditivas detectadas, o Fonoaudiólogo deve oferecer:

  1. Audiometria confiável e meticulosamente interpretada
  2. Treinamento e orientações sobre o uso e cuidados com os EPA’s
  3. Palestras educativas sobre a prevenção auditiva

PROTETOR AURICULAR - Acessíveis e importantes
na redução dos riscos da exposição a ruídos


A existência de locais de trabalho com níveis de ruído iguais ou superiores a 85 decibéis deve desencadear a implantação de um PCA

Objetivos e Benefícios da implantação do PCA na empresa:

  1. Melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores, reduzindo os efeitos extra-auditivos relacionados à exposição aos níveis de pressão sonora elevados;
  2. Estabelecer medidas preventivas eficazes para diagnóstico precoce e estabilização dos casos de perdas auditivas ocupacionais;
  3. Identificar trabalhadores com problemas de ouvido e audição não relacionados ao trabalho, encaminhando-os para adequado diagnóstico, tratamento e documentação do caso;
  4. Respaldar a empresa nos aspectos legais e nos processos judiciais de reclamatórias trabalhistas;
  5. Adequar os gastos da empresa com adicionais de insalubridade e aposentadoria especial;
  6. Atender a legislação trabalhista e previdenciária;
  7. Desenvolver estratégias coletivas e individuais eficazes para redução da exposição dos trabalhadores aos riscos para perda auditiva no trabalho;
  8. Obter ou manter certificações relacionadas à saúde, segurança, meio ambiente e qualidade;
  9. Desenvolver conhecimento sobre conservação auditiva e estimular atitudes empreendedoras nos trabalhadores, tornando-os mais cooperativos e satisfeitos.